NOTÍCIAS

Projetos de Lei

Virmondes quer ambiente virtual para “visitas” a pacientes e profissionais de saúde

 

Uma política pública estadual para garantir a reaproximação entre pacientes com covid-19 internados na rede estadual de saúde de Goiás e entes queridos é a proposta da “Visita Hospitalar Virtual” apresentada pelo deputado estadual Virmondes Cruvinel (Cidadania). O projeto de lei também objetiva estabelecer canal prático e seguro de comunicação entre equipes médicas e familiares. As “visitas” seriam, na verdade, contatos realizados por meio de videoconferência.

O parlamentar esclarece que “em razão da pandemia e o alto risco de contaminação do vírus, restrições de visitas e acompanhantes junto aos pacientes internados têm sido impostas no cotidiano das unidades de saúde, o que é, obviamente, necessário”. “É indiscutível que a adoção dessa medida, diante da grave crise, tem o condão de proteger tanto os pacientes quanto os trabalhadores da saúde, afirma Virmondes.

No entanto, o deputado acredita que é necessário também pensar na saúde emocional dos pacientes e profissionais da saúde. “É indiscutível a relevância da interação social para o processo de recuperação clínica, bem como para elevação do bem-estar e da autoestima. Além disso, é fundamental que os familiares possam estabelecer um canal prático e seguro de esclarecimentos sobre a evolução clínica do respectivo paciente”, destaca.

O projeto de lei justifica que, em razão do custo financeiro que exige a devida implementação da proposta e da escassez de recursos públicos estaduais, o texto busca a efetiva concretização das videoconferências pela abertura de um amplo canal de doações, que poderá contar, inclusive, com a cessão de materiais apreendidos, maximizando o aproveitamento de recursos em posse do Estado.

“Para a consecução dos objetivos desta Política Pública, será aberto canal específico de doações para que empresas, entidades do terceiro setor e cidadãos possam contribuir com equipamentos tais como celulares, tablets, roteadores, dentre outros pertinentes à operacionalização das chamadas de vídeo”, diz o texto do projeto.

E ainda: “Os materiais necessários para a realização das videoconferências também poderão ser obtidos mediante aproveitamento de itens apreendidos em operações policiais e fiscalizatórias, via instrumento pertinente de cessão, observadas as regras vigentes para tanto.”

 

Goiânia, 08 de junho de 2020.